29 de março de 2012

[Filme] Jogos Vorazes


Título Original: The Hunger Games
Duração: 140 min
Direção: Gary Ross
Roteiro: Suzanne Collins e Gary Ross
Distribuidora: Paris Filmes
Ano: 2012

Comentários:
Para mim é muito difícil tentar falar sobre este filme, afinal ele foi inspirado em um dos meus livros favoritos e a expectativa para ver a história que tanto gostei na telona era imensa, bom, não me decepcionei nem por um minuto e agora Jogos vorazes está também na minha lista de adaptações literárias para filmes que mais me agradaram.
O filme segue a história do livro, após uma fase apocalíptica os Estados Unidos encontra-se dividido em 13 distritos e uma capital que controla a todos, após uma revolução desses distritos que acabaram perdendo a luta sendo que o 13° distrito foi destruído e a capital para manter a memória dessa revolução viva e evitar futuros levantes institui os Jogos Vorazes, um jogo onde cada distrito deve enviar um casal de crianças entre 12 e 18 anos para uma arena e lá eles devem lutar entre si sendo que só um sai ganhador. Katniss (Jennifer Lawrence) entra nos jogos para salvar sua irmã Prim (Willow Shields) e acabou indo junto com Peeta (Josh Hutcherson) para lutar por sua vida, porém há mais coisas em jogo.
Estava muito ansiosa para este filme, com todos os tipos de medo possíveis, e se a adaptação não reproduzir a mensagem do livro? E se os jogos acabarem sendo apenas violência sem realmente representar a critica toda? Mas todos os meus medos foram superados, o filme foi muito bem produzido e conseguiu passar para imagens tudo o que imaginava quando lia as cenas e ainda mais, pois algumas cenas foram acrescentadas mostrando o lado da Capital em relação aos Jogos e não apenas o ponto de vista da Katniss A adaptação foi muito bem trabalhada os cenários e os figurinos foram muito bem escolhidos. Os atores não deixaram por menos e conseguiram trazer toda a essência de cada personagem.
Para aqueles que ficaram com medo de que violência poderia acabar sendo supervalorizada na representação da arena, os jogos possuem uma sutileza não deixando nunca essa parte sobrepor a mensagem, que fica muito mais clara no filme com algumas cenas (principalmente os diálogos do presidente Snow) da banalização da sociedade, a cultura do pão e circo levada ao extremo e a manipulação do poder. Recomendo muito (já assisti 2 vezes e contando).

“Happy hunger games and may the odds be ever in your favor”

 Veja o trailer:


 

22 de março de 2012

O Silêncio dos Inocentes - Thomas Harris




Livro: O silêncio dos inocentes
Autor: Thomas Harris
Editora: BestBolso
Ano: 2008

Sinopse:
Cinco mulheres são brutalmente assassinadas em diferentes localidades dos Estados Unidos. Para chegar até o sanguinário assassino, uma jovem treinada pelo FBI entrevista o Dr. Hannibal Lecter, um brilhante psiquiatra, cuja mente está perigosamente voltada para o crime. Ao seguir as pistas apontadas por Lecter, a jovem se vê envolvida numa teia mortífera e surpreendente. Uma novela policial arrepiante, escrita pelo célebre autor de Domingo Negro.

Comentários:
Devido à correria que minha vida se encontra ficou difícil (para não dizer impossível) postar por um tempo, mas no meio de tudo o que aconteceu tenho que dizer que fiquei muito feliz com o tema do terceiro mês do desafio literário, já que é um tema que eu particularmente adoro: Serial Killer.
Para esse mês optei por uma leitura mais clássica desse tema e que sua adaptação foi um dos primeiros filmes nesse estilo que assisti, “O Silêncio dos Inocentes”, do autor Thomas Harris.
O livro começa com uma história intrigante, com um serial killer que sequestra moças, as matas e tira suas peles (sim sadismo com requintes de crueldade) e foi denominado como Buffalo Bill. O FBI, e principalmente o diretor Jack Crawford estão à busca desse assassino e no meio de toda essa perseguição a história nos apresenta Clarice Starling, uma agente que esta em treinamento e foi requisitada para entrevistar e tentar obter algumas informações de outro psicopata famoso, porém que já está em custódia. Ele tinha cometido crimes horríveis além de ser adepto ao canibalismo, o doutor Hannibal Lecter, é um psiquiatra que adora jogos psicológicos com todos, principalmente com suas vítimas ou pessoas que ele considera vulneráveis. Clarice acaba tendo uma “ligação” com Lecter que acaba aceitando falar com ela e lhe dando uma dica sobre um dos seus crimes, porém essa dica acabará por ligar os dois assassinos em uma busca contra o tempo e Clarice terá que lidar com um serial killer para poder prender o outro.
Adorei o livro, mas vou deixar claro que em todos os momentos fui influenciada pelo filme, não consegui separar um do outro (tanto que a cada fala de Hannibal Lecter conseguia imaginar o Anthony Hopkins), a narrativa flui bem mantendo o clima de tensão e suspense durante todo o enredo. Assim como no filme, mesmo a história se pautando em Buffalo Bill um dos personagens com mais destaque é Lecter, com seus jogos psicológicos e com sua grande inteligência ele acaba ganhando um enorme espaço na narrativa, e agora preciso fazer uma confissão, não gostei muito da personagem Clarice Starling, mesmo que em muitas vezes ela demonstre coragem e lances de bom raciocino acho uma personagem um tanto quanto chata e que acaba dando voltas longas durante a história (mas é legal ver o relacionamento de Lecter com ela). Adorei a leitura que, para mim, não ficou devendo ao filme. 

“Após a cósmica ressaca que o Smithsonian lhe deixara, veio-lhe um último pensamento e a coda do dia: Sobre este estranho mundo, esta metade do mundo agora imerso no escuro, tenho que caçar algo que vive de lágrimas”.