19 de dezembro de 2014

[Dica] Blogs de Letras News


Oi gente, hoje vou apresentar como dica uma ferramenta que acompanho desde o momento de sua idealização e que me ajuda em vários aspectos para poder marcar presença e me achar nessa enorme Blogosfera Literária. 

O Blogs de Letras News foi uma ideia gerada a partir dos encontros do Blog de Letras (aqui no blog é possível encontrar posts que falam mais sobre esse evento, mas resumidamente falando é um encontro entre um grupo de blogueiros e editoras que visam uma maior aproximação e interação entre os participantes para assim poder levar o melhor aos leitores e continuar a mostrar que realmente a literatura pode mudar as coisas – essa parte final é uma divagação minha, assumo, mas realmente acredito nisso). Nesses encontros uma das questões abordadas era como fazer com que o leitor e o blogueiro pudessem sintetizar a grande quantidade de informação lançada na rede por dia em um único lugar e com essa premissa o Publishnews e o Pavablog trouxeram o Blogs de Letras News.



Desde a sua criação essa é uma ferramenta que tem me auxiliado muito, tanto em poder divulgar meus posts para uma base maior e mais concentrada de leitores como em também poder acompanhar os diversos conteúdos divulgados durante o dia, no modelo de jornal online diário o site traz um compilado de resenhas, notícias, informações variadas, vídeos e fotos retirados de blogs diversos ampliando o alcance da informação. Uma ferramenta que recomendo fortemente.

(O texto a seguir foi retirado do blog Dito pelo Maldito e traz todas as informações de como participar dessa iniciativa:)

Para conhecer mais sobre este incrível projeto, basta clicar aqui e já incluir o site na sua barra de favoritos. Para não correr o risco de perder qualquer questão importante que tenha rolado durante o dia, eu também sugiro inscrever o seu e-mail logo de cara no site para receber as atualizações do Blogs de Letras News diretamente na sua caixa de entrada. E se curtir a iniciativa, não deixe de divulgar o link em suas redes sociais. Toda ajuda é bem vinda neste início de atividade.
O Blogs de Letras também está presente no Twitter (clique aqui para seguir) e no Facebook (clique aqui para curtir). 

Para os blogueiros que querem ter suas postagens inclusas nas edições do Blogs Letras News, basta seguir e entrar em contato pelo perfil @blogsdeletras no twitter. É necessário que o seu blog esteja dentro da temática literária, e a única coisa que se pede em troca é que nos ajude na divulgação deste grande projeto.

1 de dezembro de 2014

[Music Monday] The Hanging Tree


Hoje quero trazer uma música que ficou na minha cabeça desde a primeira vez que a ouvi no cinema, foi uma das cenas que mais me arrepiou durante o filme e quando voltei pra casa fiquei ouvindo várias vezes: The Hanging Tree, música cantada por Jennifer Lawrence em A Esperança – Parte1.



The Hanging Tree

Are you, are you
Coming to the tree
Where they strung up a man
They say murdered three.
Strange things did happen here
No stranger would it seem
If we met up at midnight
In the hanging tree.

Are you, are you
Coming to the tree
Where the dead man called out
For his love to flee.
Strange things did happen here
No stranger would it seem
If we met up at midnight
In the hanging tree.

Are you, are you
Coming to the tree
Where I told you to run,
So we'd both be free.
Strange things did happen here
No stranger would it seem
If we met up at midnight
In the hanging tree.

Ooooohhh
ooooh

Are you, are you
Coming to the tree
Wear a necklace of rope,
Side by side with me.
Strange things did happen here
No stranger would it seem
If we met up at midnight
In the hanging tree.

Oooooooooohhhh
oooooh


29 de novembro de 2014

[Livro] Eternidade por um fio – Ken Follett



Livro: Eternidade por um fio (terceiro livro da trilogia O Século)
Titulo Original: Edge of Eternity
Autor: Ken Follett
Editora: Arqueiro
Ano: 2014
Avaliação: 5/5
Sinopse:Durante toda a trilogia O Século, Ken Follett narrou a saga de cinco famílias americana, alemã, russa, inglesa e galesa. Agora seus personagens vivem uma das épocas mais tumultuadas da história, a enorme turbulência social, política e econômica entre as décadas de 1960 e 1980, com a luta pelos direitos civis, assassinatos, movimentos políticos de massa, a guerra do Vietnã, o Muro de Berlim, a Crise dos Mísseis de Cuba, impeachment presidencial, revolução... e rock and roll! Na Alemanha Oriental, a professora Rebecca Hoffman descobre que durante anos foi espionada pela polícia secreta e comete um ato impulsivo que afetará sua família para o resto de suas vidas. George Jakes, filho de um casal mestiço, abre de mão de uma brilhante carreira de advogado para trabalhar no Departamento de Justiça de Robert F. Kennedy e acaba se vendo não só no meio do turbilhão da luta pelos direitos civis, como também numa batalha pessoal. Cameron Dewar, neto de um senador, aproveita a chance de fazer espionagem oficial e extraoficial para uma causa em que acredita, mas logo descobre que o mundo é um lugar muito mais perigoso do que havia imaginado. Dimka Dvorkin, jovem assessor de Nikita Khruschev, torna-se um agente primordial no Kremlim, tanto para o bem quanto para o mal, à medida que os Estados Unidos e a União Soviética fazem sua corrida armamentista que deixará o mundo à beira de uma guerra nuclear. Enquanto isso, as ações de sua irmã gêmea, Tanya, a farão partir de Moscou para Cuba, Praga Varsóvia e para a história. Como sempre acontece nos livros de Ken Follett, o contexto histórico é brilhantemente pesquisado, a ação é rápida, os personagens são ricos em nuances e emoção. Com a mão de um mestre, ele nos leva a um mundo que pensávamos conhecer, mas que nunca mais vai nos parecer o mesmo. (Fonte: Skoob)

Comentários: 
Em Eternidade por um fio, Ken Follett encerra magistralmente a trilogia O Século e devo confessar que após acompanhar seus personagens por tantas páginas, muitos anos e diversas gerações foi quase doloroso fechar o último livro. 
O livro se passa alguns anos depois de o final de O Inverno do Mundo e com o foco em outros personagens na nova geração que está crescendo em um mundo repartido por preconceitos e por política, entre a tensão da disputa entre o capitalismo e o comunismo. 
Os núcleos basicamente são os mesmos, Follett trará personagens americanos, alemães, ingleses e russos, conseguindo abordar com isso o amplo panorama que se mantém entre os anos de 1961 a 2008. 
Nas obras anteriores eu já tinha me apaixonado pelo estilo narrativo do autor, o como ele consegue humanizar situações que até então eram apenas parte de uma aula de história e nesse livro ele se superou nesse intento, pois é a primeira vez em que efetivamente não há uma guerra de confronto físico (que geralmente aumenta o grau de empatia do leitor com o personagem já que seus sofrimentos e dilemas são mais palatáveis), mas a maioria das disputas são jogadas políticas, na verdade esse é o grande enfoque do livro e chega a ser repetido por vários personagens: as pessoas podem lutar por seus ideais e sonhos mas o que realmente muda o mundo são os governos. 
Logo no início um dos focos está no personagem George, um negro que acabou de se formar e tenta construir sua carreira e acima disso, luta pelos direitos civis, e com ele e os personagens que o rodeiam conhecemos e imergimos em um aspecto marcante da história dos Estados Unidos a discriminação com os negros, e magistralmente Follett coloca personagens fictícios participando de situações reais de preconceito e segregação fazendo o leitor mergulhar na dor e na descriminação que cada um deles sofreu, permitindo entender como e porque tudo demorou tanto para mudar. 
Saindo desse ponto temos o conflito principal de Eternidade por um fio, a “guerra” entre o capitalismo e o comunismo, na verdade a disputa entre os EUA e a URSS para tentar provar qual dos seus regimes era o melhor para o futuro e como, na verdade, as pessoas sobre essas políticas acabaram sendo prejudicadas enquanto seus governantes brigavam para mostrar quem era o melhor. Vários conflitos sobre essas diferenças são tratados no livro, como Cuba, Vietnã, Praga, entre outros, mas a lente do autor se foca principalmente no país que virou símbolo dessas diferenças: a Alemanha, a nação dividida entre o capitalismo e o comunismo. 
Um dos mecanismos narrativos de Follett para dar veracidade à suas histórias é usar personagens não ficcionais interagindo com personagens criados pelo autor e nessa obra ele se aprofundou mais ainda nessa técnica, pois grande parte dos personagens está inserido ou evolvido nos contextos políticos e a interação necessária é maior, além de trazer muitos nomes conhecidos como: Martin Luther King, John e Bobby Kennedy, George Bush, Gorbachev, entre outros. 
Confirmei o quanto o livro e a escrita eram muito bons no momento em que me vi torcendo por rumos de ações que eu já sabia o resultado por se pautarem em fatos históricos, como, por exemplo, ficar apreensiva se os EUA ia ou não bombardear Cuba, mesmo sabendo que historicamente isso não aconteceu. Essa apreensão aconteceu em vários momentos durante a narrativa, e o autor conseguiu manter um clima de tensão e até de surpresa com fatos históricos popularmente conhecidos. 
Tenho apenas uma pequena resalva sobre esse livro, por ser o de passagem de tempo mais longa até agora, Follett acaba passando desenvolvendo muito os seus personagens e o leitor acompanha seus envelhecimentos, alguns conhecemos adolescentes e terminam o livro com quase 50 anos. Com isso, no fim, alguns personagens não tiveram seus desfechos definidos, não que haja pontas soltas, por que não há, mas para mim faltou uma pequena conclusão mais definitiva para eles. 
Como sempre disse desde a primeira resenha da Trilogia O Século, e que neste último livro se confirmou, essa não é uma leitura sobre fatos históricos, mas sim uma leitura sobre a natureza humana e suas falhas e grandezas e como essas sim moldaram a história. 


25 de novembro de 2014

[Filme] Jogos Vorazes – A Esperança: Parte 1



Título original: The Hunger Games - Mockingjay : Part 1
Duração: 125 min.
Direção: Francis Lawrence
Roteiro: Danny Strong, Suzanne Collins (autora da obra original)
Distribuidora: Paris Filmes
Ano: 2014
Avaliação: 4/5
Sinopse:Após ser resgatada do Massacre Quaternário pela resistência ao governo tirânico do presidente Snow (Donald Sutherland), Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) está abalada. Temerosa e sem confiança, ela agora vive no Distrito 13 ao lado da mãe (Paula Malcomson) e da irmã, Prim (Willow Shields). A presidente Alma Coin (Julianne Moore) e Plutarch Heavensbee (Philip Seymour Hoffman) querem que Katniss assuma o papel do tordo, o símbolo que a resistência precisa para mobilizar a população. (Fonte: AdoroCinema)

Comentários:
Fui assistir a primeira parte do filme que é a adaptação de um dos livros mais controversos da série de sucesso que difundiu a distopia para o núcleo jovem, fui ver Esperança – Parte 1 da série Jogos Vorazes, e dada sua devida importância vou dizer que o filme não me decepcionou e considerando a parte da história que ele está contando fiquei agradavelmente surpresa com o trabalho. 

A história começa do ponto em que parou o filme anterior, Katniss está no Distrito 13 tentando superar tudo o que aconteceu, mas principalmente sofrendo por Peeta ter ficado para trás durante a fuga que acabou gerando um grande caos em Panem.
Como mencionado no título do filme, essa é a primeira parte da revolução, então não se podia esperar a ação apresentada nos anteriores, agora o foco é o jogo político, pra ser mais específica, na propaganda política, tendo de um lado o Distrito 13 motivando a população a continuar a revolução e do outro a Capital que quer convencer o povo que as coisas estavam boas do modo que eram levadas.

Um dos pontos que mais gostei desse filme foi que ele conseguiu adaptar de uma forma fluída a primeira parte do livro (que é bem parada e repetitiva). Eles focaram bem nas jogadas políticas e em como Katniss é manipulada para que se torne o rosto da revolução, e como na verdade ela não quer participar de tudo isso. O filme vai encaminhando e montando as peças para  segundo, em que a ação vai acontecer, é um filme introdutório. 

Sobre os atores a cada vez que há uma adaptação nova eles se encaixam melhor ao papel, Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson e Liam Hemsworth estão se consagrando em seus papéis, mas nesse filme um dos destaques é para Julianne Moore, que entra representando a presidente Alma Coin, e conseguiu trazer todas as características de sua personagem, a frieza e calculismo com que rege suas decisões, mas em contraponto com a figura quase que materna para os que a seguem. E não posso deixar de mencionar o quanto foi emocionante ver o Philip Seymour Hoffman que tem um grande destaque como um conselheiro, ou até marketeiro da presidente, o que me faz questionar como será a continuação sem ele. 

Esse é um filme introdutório, sem muita ação, mas com cenas emocionantes e um bom gancho para o que está por vir. 

23 de novembro de 2014

[Teatro] O Homem de la Mancha



“Quando a vida perde o sentido, o que é a loucura?” 

Essa frase é uma das indagações que geram uma reflexão da nova montagem musical realizada pelo Sesi – O Homem de La Mancha – uma adaptação da famosa história de Dom Quixote de La Mancha. 
O musical traz como destaque um contraponto entre a loucura e a realidade indo além disso, sobrepondo uma a outra e gerando o questionamento sobre o que realmente seria loucura?

A adaptação vai trabalhar com duas linhas narrativas, a primeira é um hospício onde os internos seguem as ordens de outro louco intitulado como governador, nesse ambiente conhecemos Miguel de Cervantes (autor da obra Dom Quixote) que acaba de ser enviado para o hospício por enfrentar a igreja, e como regra do lugar vai passar por um julgamento em que o juiz será o governador, ele é acusado de ser um idealista, e como defesa irá contar uma história, uma peça de teatro em que todos os outros loucos e funcionários do hospício poderão atuar também. Nesse momento Cervantes começa a história de um fidalgo que após longos momentos de solidão e leituras de história de cavalaria enlouqueceu e começou a acreditar ser Dom Quixote de La Mancha, um cavaleiro. Com seu escudeiro Sancho Pança, Dom Quixote irá viver aventuras e ver o mundo totalmente do seu jeito, lutando contra moinhos de vento que para ele são gigantes, hospedando-se em uma hospedaria que julga ser um castelo e se apaixonando por Aldonza funcionaria da hospedaria e prostitua, mas que para o cavaleiro era na verdade Dulcineia, moça de enorme formosura e virtude. 


“Eu sou eu Dom Quixote, senhor de La Mancha e o meu destino é lutar / Pois quem não se aventura com fé e ternura, não pode o mundo mudar.” 

Nessa peça Miguel Falabella, responsável pela adaptação do texto e das músicas, trabalha muito bem a loucura: já que Dom Quixote é um louco ele intercalou a loucura fantasiosa e ideológica de Dom Quixote com o tempo no hospício de Cervantes e criou o questionamento sobre a verdade da loucura, pois tanto Dom Quixote e Cervantes foram acusados por seguir seus ideais e seus sonhos, o que também me fez pensar sobre o quanto somos um pouco loucos. 

A montagem ficou muito bem feita, o cenário é fixo com alguns poucos movimentos, porém isso favorece o clima do hospício, o figurino é simples mas cria momentos mágicos no palco como os loucos e os funcionários sendo caracterizados em cena. Os atores, como um todo, fazem um belíssimo show. Cleto Baccic e Sara Sarres brilham em seus papéis (Miguel de Cervantes / Dom Quixote e Aldonza / Dulcineia, respectivamente), mas na verdade todos tem um espaço para si, cada ator marca muito bem sua presença na peça. 

As músicas ficaram perfeitas, cada uma delas completa perfeitamente o musical, as harmonias e as letras encaixaram em seus momentos e transmitiram todas as emoções, é impossível não sair cantando do teatro. 

“Sonhar mais um sonho impossível / Vencer o inimigo cruel / Clamar com a voz da justiça / Manter da balança o fiel...”

Essa é a segunda montagem que assisto do Projeto Sesi em Teatro Musical (a primeira foi A Madrinha Embriagada) e posso dizer que cada vez mais a qualidade e a competência dessas peças me deixa totalmente encantada, louca para assistir às próximas. 




Informação: 
Duração: 110 minutos
Local: Avenida Paulista, 1313 - Bela Vista - São Paulo - SP - Tel.: (11) 3146 7406
Horário: Quarta a sexta, 21h; sábado, 17h e 21h; domingo, 19h.
Saiba mais aqui


21 de novembro de 2014

[Livro] A Canção de Aquiles – Madeline Miller


Livro: A Canção de Aquiles
Titulo Original: The Song of Achilles
Autor: Madeline Miller
Editora: Jangada
Ano: 2013
Avaliação: 5/5
Sinopse:Baseada na Ilíada, esta obra é uma reconstituição da épica Guerra de Troia. O tímido príncipe Pátroclo é exilado no reino de Fítia, onde cresce à sombra do rei Peleu e de seu extraordinário filho, Aquiles. Apesar de suas diferenças, os meninos logo se tornam companheiros inseparáveis. Os laços entre eles se aprofundam à medida que se tornam adolescentes e hábeis nas artes da guerra e da medicina – para desagrado e irritação da mãe de Aquiles, Tétis, uma cruel deusa marinha que odeia os mortais. Quando se espalha a notícia de que Helena de Esparta foi raptada, os homens da Grécia, ligados por um juramento de sangue, têm de partir para invadir Troia e salvar Helena. Seduzido pela promessa de um destino glorioso, Aquiles junta-se à causa. Pátroclo, dividido entre o afeto e o temor por seu amigo, acompanha-o. Mal sabem eles que os deuses do destino os colocarão à prova como nunca antes, exigindo deles um terrível sacrifício.

Comentários:  
Quando decidi ler A Canção de Aquiles não sabia muito o que esperar desse livro a não ser que era uma obra baseada na Ilíada (poema épico de Homero que narra os acontecimentos da Guerra de Tróia) e isso por si só já era um bom atrativo para que eu iniciasse a leitura. 
Um diferencial do livro é que sua narrativa é feita pelo ponto de vista de Pátroclo, filho do rei Menécio, porém foi exilado de seu reino e vai morar em Fítia, onde conhece Aquiles, filho do rei Pelei e da deusa marinha Tétis e com ele segue sua história até os grandes acontecimentos da Guerra de Troia. 
A história segue desde a infância dos personagens, suas vidas no palácio, as brincadeiras e suas aulas, acompanhamos seu crescimento e amadurecimento, seus treinos e aprendizados mais profundos e chegamos a sua fase adulta, banhada a sangue e suor das lutas e com tudo isso é bem nítido o amadurecimento e o crescimento deles, como Aquiles se torna a lenda que representa e a participação de Pátroclo em sua vida.  Os personagens são muito bem fundamentados e caracterizados, tanto os principais como aqueles que a autora também traz da Iliada (os reis, os deuses, os heróis) mesmo sendo uma obra baseada é possível ver o cuidado para que o livro não se distancie muito de sua fonte. Os reis e deuses possuem características únicas e possuem participação importante durante toda a narrativa. 
A escrita de Madeline Miller é suave, mas envolvente, ela descreve com delicadeza o relacionamento de Aquiles e Pátroclo, tem uma estrutura linear ao acompanhar o crescimento de seus personagens e mesmo durante as cenas de batalha (regadas a sangue e lanças) sua suavidade ainda pode ser percebida, os recursos usados para descrever o jogo político dos reis durante a guerra e suas motivações  são leves, mas claros. 
Um livro que adorei, pois uma das surpresas que mais me cativou foi que apesar de a obra ter a Guerra de Troia como o ponto ápice da história, ela é muito mais que batalhas, morte e sangue. É sobre pessoas, relacionamentos, sentimentos, glória e honra. 
Ps: só um fato engraçado que durante a leitura toda vez que descreviam Aquiles eu lembrava do Brad Pitt (ele fez papel de Aquiles no filme Troia) não conseguia imaginar outro personagem rs. 

17 de novembro de 2014

[Music Monday] Fall to Pieces

Hoje quis trazer uma música que ouvi muito há um tempo, mas que ultimamente ficou meio esquecida na ordem aleatória do meu mp3, e que na verdade ainda gosto como quando escutei pela primeira vez: Fall to Pieces do Velvet Revolver 



Fall To Pieces

It's been a long year
Since you've been gone
I've been alone here
I've grown old
I fall to pieces, I'm falling
Fall to pieces and I'm still falling

Every time I'm falling down
All alone I fall to pieces

I keep a journal of memories
I'm feeling lonely, I can't breathe
I fall to pieces, I'm falling
Fall to pieces and I'm still falling

All the years I've tried
With more to go
Will the memories die
I'm waiting
Will I find you
Can I find you
We're falling down
I'm falling

Every time I’m falling down
All alone I fall to pieces
Every time I’m falling down
All alone I fall to pieces
Every time I’m falling down
All alone I fall to pieces
Every time I’m falling down
All alone I fall to pieces


15 de novembro de 2014

[Filme] Cartas para Julieta



Título original: Letters to Juliet
Duração: 105 min
Direção: Gary Winick
Roteiro: Jose Rivera, Tim Sullivan
Distribuidora: Paris Filmes
Ano: 2010
Avaliação: 3/5

Comentários: 
Um romance que não foge muito do padrão, mas é bom para poder descontrair por um momento. 

A história começa com Sophie (Amanda Seyfried), uma pesquisadora profissional que vai em férias “pré-lua de mel” com seu noivo Victor, (Gael García Bernal) chef profissional que na verdade está mais focado em seu restaurante do que em sua noiva. Sophie, frustrada com seu relacionamento e com sua profissão (ela queria se tornar escritora) durante a viagem acaba encontrando a “Casa de Julieta” um local em que teria se passado a história de Romeu e Julieta, em que as mulheres escrevem cartas para Julieta pedindo conselhos sobre suas vidas. Neste local ela também conhece as “secretárias de Julieta”, mulheres que respondem as cartas que são deixadas na casa. Em um dia Sophie acha uma carta escrita há muito tempo  e resolve responde-la o que irá gerar uma mudança tanto na vida de Claire (Vanessa Redgrave),mulher que escreveu a carta, de Charlie (Christopher Egan ), seu sobrinho, assim como na própria vida de Sophie.

Antes de assistir a esse filme achei que ele seria uma versão de Romeu e Julieta, o que não ocorre,  há apenas pequenas referências a história de Shakespeare. 
A narrativa é trabalhada toda em volta do romance, assim como a construção dos personagens. A ambientação na Itália foi uma das coisas que mais me encantou, ver os campos e  os vinhedos (enfim adoro esse país). 

O romance não traz muitas novidades das fórmulas já conhecidas, o que tornas as situações previsíveis, mas é um filme bem construído em seu gênero e uma boa pedida para aquele momento em que se quer relaxar.

11 de novembro de 2014

[Livro] Entre o agora e o nunca – J. A. Redmerski


Livro: Entre o agora e o nunca
Titulo Original: The edge of never
Autor: J. A. Redmerski
Editora: Suma de Letras
Ano: 2013
Avaliação: 3/5
Sinopse:Camryn Bennett é uma jovem de 20 anos que desistiu do amor desde que Ian, seu namorado, morreu num acidente de carro há um ano. Sua melhor amiga, Natalie, é a única capaz de animá-la. Mas a relação entre as duas fica abalada quando o namorado de Nat revela à Camryn que está apaixonado por ela. Perdida, sem saber o que fazer, Camryn vai para rodoviária e pega o primeiro ônibus interestadual, sem se importar com o destino.
Com uma carteira, um celular e uma pequena bolsa com alguns itens indispensáveis, Camryn embarca para Idaho. Mas o que ela não esperava era conhecer Andrew Parrish, um jovem sedutor e misterioso, a caminho para visitar o pai, que está morrendo de câncer. Andrew se aproxima da companheira de viagem, primeiro para protegê-la, mas logo uma conexão irresistível se forma entre os dois.
Camryn tenta lutar contra o sentimento, já que jurou nunca mais se apaixonar desde a morte de Ian. Andrew também tenta resistir, motivado pelos próprios segredos. Narrado em capítulos que alternam as vozes de Andrew e Camryn, Entre O Agora e O Nunca é uma história de amor e sexo, na qual os personagens testam seus limites, exploram seus desejos e buscam o caminho que os levará à felicidade.

Comentários:  
Entre o Agora e o Nunca é mais um livro de uma classificação de gênero conhecida como New Adult, um estilo que traz personagens um pouco mais velhos do que os YA (os personagens possuem entre 19 e 20 e tantos anos) com alguns dramas mais complicados e, em alguns casos, há uma exploração da sexualidade dos personagens. 
Este livro possui todos os elementos citados anteriormente, personagens mais velhos, alguns dramas mais complexos e o uso da sexualidade do casal. 
Tudo começa com Camryn, uma jovem de 20 anos que está com um pequeno caos em sua vida, seu grande amor morreu em um acidente de carro, os pais se divorciaram após uma traição do pai, o irmão é preso por matar alguém ao dirigir embriagado, o último namorado que ela teve a traiu e o namorado de sua melhor amiga está interessado nela, resumindo: só desgraça, mas ela ainda sente um vazio em si, não sabendo quem é ou o que quer, apenas que não quer a vida que está levando. Um dia um rompante a leva a pegar uma mala e decidir ir para a estrada sem um rumo certo apesar com o desejo de se libertar e nessa viagem ela acaba conhecendo Andrew, um jovem de 25 anos que também está tentando lidar com seus próprios problemas. Eles iniciam uma viajem juntos sem um destino muito fixo apenas tentando viver o momento e se libertarem de suas amarras e seus medos. 
A autora conseguiu construir bem os personagens, logo no início é possível ver a confusão e o estado de Camryn, com toda a confusão que está sua vida é possível entender o porquê ela decide ir viajar sem rumo, com Andrew também podemos conhecer bem seus problemas e entender sua situação, além de que J.A. Redmerski usou um artifício muito bom para poder fazer com que o leitor possa ter uma visão melhor dos personagens: a narrativa possui capítulos narrados por Camryn e outros narrados por Andrew e com isso temos uma boa visão do relacionamento dos dois enquanto viajam pelas estradas dos EUA. 
Sua narrativa é simples, tendo uma boa medida entre os diálogos e o fluxo de pensamentos dos personagens, e bem voltada para o relacionamento deles e seus dramas, não gostei muito da parte da sexualidade, acho que poderia ser algo mais gradual, tudo acontece rápido e às vezes sem muito contexto. 
Outro ponto que não me agradou muito foi a reação das pessoas à decisão de Camryn, eu entendo o que levou ela a largar tudo de uma hora para outra, mas não entendo seus pais acharem isso normal ou demorarem tanto para descobrir, não ficou verossímil para mim. E por fim outra questão que não me agradou muito foi o final, mas não posso comentar para não dar spoiler, porém não gostei do final escolhido. 

7 de novembro de 2014

[Dica] Eventos no fim da semana

Esse fim da semana está repleto de eventos muito legais e interessantes e esse post é para mostrar os que mais me interessaram (e alguns são no mesmo horário, então ainda não sei o que vou fazer rs)

Na sexta-feira (7) acontecerão dois eventos: 

Debate Literário sobre o tema Criação de Mundos Fantásticos – com os autores Eric Novello, Enéias Tavares e Graciele Ruiz. Eles farão um bate-papo literário sobre o universo da literatura fantástica, contando como criaram seus próprios mundos e também discutirão a ascensão dos escritores do gênero no Brasil. O evento ocorrerá  na Loja Geek às 19 horas.
Adicionar legenda
Lançamento dos livros de crônicas da Martha Medeiros com sessão de autógrafos. A autora está lançando uma coletânea de contos pela editora LP&M dividida em três temas (Liberdade Crônica, Felicidade Crônica e Paixão Crônica). O evento ocorrerá na Saraiva do Shopping Pátio Higienópolis a partir das 19 horas. 


No sábado começará um evento grande e bem diversificado promovido pela Livraria Cultura, o Vira Cultura – serão 28 horas ininterruptas de atividades gratuitas com dezenas de atrações como palestras, shows, sessões de autógrafos entre outras. Veja a programação abaixo: 


SÁBADO 

Loja Principal (ao lado do Cine Livraria Cultura)

15:00 - Chorus Brasil - Teletema Vol 1 
15:30 - Sessão de autógrafos do livro "Teletema I", com Guilherme Bryan e Vincenti Villari
16:00 - Bate-papo com Ney Matogrosso e Joel Pizzini 
17:00 - Sessão de autógrafos Ney Matogrosso e Joel Pizzini 
17:30 - Chorus Brasil - Teletema Vol 1 
17:30 - NO SETOR INFANTIL: Visita Snoopy - Coleção Snoopy pela Companhia das Letrinhas
18:30 - Lála Deheinzelin - apresenta crie futuros
20:00 - Pocket Show de Jesuton
21:00 - Sessão de autógrafos com Jesuton
21:30 - "O Sentido da vida" com Miguel Gonçalves, Laerte e Valter Hugo Mãe 
23:00 - Sessão de autógrafos com Valter Hugo Mãe 

Teatro Eva Herz (3º andar da loja principal) 

16:00 - Pocket Show André Vasconcelos Quarteto (música)
19:00 - Espetáculo Myrna, sou eu
20:30 - Doctor Who - Exibição do 9º episódio (8ª temp.)
23:00 - Pocket Show com Adriano Cintra 

Piso do Teatro (3º andar da loja principal) 

17:00 - Sessão de autógrafos com André Vasconcelos - Quarteto

Corredor Conjunto Nacional

17:00 - Sessão de autógrafos com André Vasconcelos - Quarteto

Loja GEEK.ETC.BR 

21:00 - "Zombicide" (jogo de tabuleiro)

Espaço Geek  (embaixo da rampa, acesso pela Al. Santos) 

16:30 - Campeonato Just Dance
17:00 - Torneio card games Pokémon
19:00 - Campeonato card games Pokemon
21:00 - "The Resistance" (jogo de tabuleiro)
22:00 - Campeonato de truco Copag 
22:00 - Campeonato card games Batle Scenes

Loja Companhia das Letras (em frente à loja Geek.etc.br)

16:00 - Visita do Snoopy – Sessão de fotos celebrando a chegada da coleção Snoopy pela Companhia das Letrinhas
17:00 - Encontro de leitores Seguinte – O selo jovem da Companhia das Letras + Pré-lançamento “Agenda da seleção” – Fotos com os vestidos da série A seleção de Kiera Cass
19:00 - Encontro de Afternators do Brasil – Lançamento do livro "After" de Anna Todd

Loja de Artes (em frente à loja principal e Cine Livraria Cultura)

17:00 - Sessão de autógrafos com Ney Matogrosso
16:00 - Encontro de Instagramers 
17:30 - Distopia - Encontro de blogueiras
19:00 - Bate-papo: Mercado independente, com João Varella, Bia Bittencourt, Douglas Utescher e Maria Fernanda Rodrigues

DOMINGO

Loja Principal (ao lado do Cine Livraria Cultura)

00:00 - Pocket show com Echoes Pink Floyd (cover)
01:00 - Sessão de autógrafos com Echoes Pink Floyd 
02:00 - Pocket show Suíte Francesa 
03:00 - Sessão de autógrafos com Suíte Francesa 
04:30 - Pocket show Mustache e os Apaches
05:30 - Sessão de autógrafos com Mustache e os Apaches
10:00 - Contação de história "Mania de explicação" com Luana Piovani 
11:00 - NO SETOR INFANTIL: Galaparty e Dixit (jogos de cartas para crianças).
13:00 - Lançamento do livro "Guerra Civil" e bate-papo com Vitor Donofrio, Ronan Cliquet e Marcelo Campo. 
15:00 - Leitura do livro "Alabardas, alabardas, espingardas, espingardas do Saramago 
15:30 - NO SETOR INFANTIL: Lala cria futuros com crianças 
17:00 - Bate-papo com Nelson Motta, sobre o livro "As sete vidas de Nelson Motta" e o CD "Nelson 70"
18:00 - Sessão de autógrafos com Nelson Motta
19:00 - Pocket Show Novos Baianos
20:00 - Sessão de autógrafos Novos Baianos

Café Viena ( no piso térreo da loja principal)

05:00 a 09:30 - Fábrica de pães com Gustavo Blanco

Teatro Eva Herz (3º andar da loja principal) 

00:00 - Roberta Martinelli entrevista Tiê e Nanpa
01:00 - Pocket show com Tiê
02:00 - Pocket Show Nana Rizzini 
04:00 - Pocket show com DUVCO
08:30 - Doctor Who - Exibição do 9º episódio (8ª temp.)
10:00 - Encontro de gerações com Pedro Bandeira, Monica Rodrigues da Costa
11:30 - Palestra Corpo e mente com Nuno Cobra 
13:00 - Palestra de José Garcez Ghirardi sobre Shakespeare. Foco: Romeu e Julieta
14:30 - Bate-papo com Xico Sá e Morgana Kretzmann, sobre a adaptação do livro "Big Jato" para o teatro 
16:00 - Lalá Deheinzeli: Narra futuros com desenhos 
18:00 - Dráuzio entrevista Zeca Camargo 

Piso do Teatro (3º andar da loja principal)

00:00 - Sessão de autógrafos com Adriano Cintra 
02:00 - Sessão de autógrafos com Tiê
03:00 - Sessão de autógrafos com Naná Rizzini
05:00 - Sessão de autógrafos DUVCO
11:00 - Sessão de autógrafos Pedro Bandeira
12:30 - Sessão de autógrafos com Nuno Cobra 
14:00 - Sessão de autógrafos com José Garcez Ghirardi
15:30 - Sessão de autógrafos Xico Sá
19:00 - Sessão de autógrafos Zeca Camargo

Corredor Conjunto Nacional

17:00 - Performance/contação com Kiara Terra sobre o resultado da ação 1 página de cada vez 

Cine Livraria Cultura

SALA 1 

00:00 - Footlose
01:30 - Gremlins 
03:30 - Os caça-fantasmas
05:00 - Duna
09:30 - Nada tenho de meu
11:00 - José e Pilar 

SALA 2 

00:00 - Rock Horror Picture Fantástico - O Show 
01:30 - Luzes da Ribalta
03:30 - Elvira a rainha das trevas
05:00 - Ruas de fogo 
06:30 - Indiana Jones e o templo da perdição
09:00 - O último guerreiro das estrelas 
11:00 - História sem fim

Espaço Geek (embaixo da rampa, acesso pela Al. Santos)

02:00 - Campeonato card games Batle Scenes
11:30 - Campeonato card games Pokémon
17:00 - Campeonato card games Pokémon

Loja Companhia das Letras (em frente à loja Geek.etc.br)

10:00 - Aula de Ioga para crianças - 
10:30 - Lançamento do livro "Vamos brincar de estátua?"
14:00 - Demonstração de desenho com areia – José Carlos Lollo – Livro: "O coiso estranho"
15:00 - Sessão de autógrafos – O coiso estranho – Blandina Franco e Lollo
16:00 - Bate-papo sobre Empreendedorismo criativo com Mariana Castro e convidados.
17:00 - Sessão de autógrafos do livro: "Empreendedorismo Criativo"

Loja de Artes (em frente à loja principal e Cine Livraria Cultura)

10:30 - Lála Deheinzelin e Kiara Terra narram futuros (performance)
11:30 - Sessão de autógrafos Lála Deheinzelin
13:00 - Sessão de autógrafos Paulo Scott, Thais Gulin e Lulina 
17:00 - Performance com Kiara Terra resultado da ação 1 página de cada vez
18:00 - Limites da ficção: Ricarco Lísias e Tiago Ferro
19:00 - Da música à literatura: Paulo Scott, Thais Gulin e Lulina 
19:00 - Sessão de autógrafos Ricardo Lísias
20:00 - Sessão de autógrafos com Paulo Scott, Thais Gulin e Lulina


SENHAS - Para os campeonatos de card games e os eventos realizados no Teatro Eva Herz, na loja de artes e no espaço infantil serão distribuídas senhas 1 hora antes de cada atividade em um balcão embaixo da rampa com acesso pela Al. Santos



5 de novembro de 2014

[Série] Lost Girl – Terceira Temporada


Título Original: Lost Girl
Temporada: Terceira
Ano: 2013
Roteirista: Emily Andras
Emissora: Showcase
Episódios: 13
Avaliação: 4,5/5

Comentários: 
Após assistir a terceira temporada de Lost Girl tenho que dizer que foi a uma das melhores que vi (ainda prefiro a primeira, mas porque tenho uma certa preferência pelo Dyson) 
A ação dá continuidade aos eventos ocorridos ao final da segunda temporada, trazendo também suas consequências. 

Bo terá de aprender a lidar com o seu lado “das trevas” algo que ela descobriu na temporada anterior e que em até certo ponto a assusta. Kenzi terá de lidar com as consequências de seus atos anteriores e mais ainda com ser uma humana no meio de tantos seres especiais. Trick continua com seus mistérios, porém sua relação com Bo fica bem mais próxima. Lauren e Bo vão aprofundar sua relação mostrando um lado da Sucubo mais protetor e romântico. Dyson terá que aprender a lidar com as mudanças que ocorreram e Hale agora possui um novo papel de peso. 

Nesta temporada há o acréscimo de novos personagens, mas a que mais ganha espaço com certeza é Tamsin, uma fae das trevas que irá entrar na vida deste grupo. 

Voltando ao estilo da primeira temporada, com apenas 13 episódios a série se mostra mais densa e com muita ação e descoberta em cada episódio. Mas uma vez o foco desta temporada é Bo e seu futuro e passado como fae. Também foi possível conhecer mais sobre os faes e sua cultura além de conseguir ter respostas para dúvidas que tinha desde a primeira temporada como sobre a imortalidade desses seres sobrenaturais. 

E para aumentar ansiedade pela quarta temporada esse realmente foi um dos melhores finais que vi. 

3 de novembro de 2014

[Music Monday] Ironic

Hoje estive um pouco nostálgica da época em que passava as tarde assistindo MTV para poder gravar (sim, sou do tempo de gravar em fitas rs) os clipes que mais gostava e que passavam ou no Disk MTV ou no Top 10, e uma das artistas que mais me marcaram foi a Alanis Morissette e com certeza eu tinha este clipe gravado em pelo menos três fitas: 



Ironic

An old man turned ninety-eight
He won the lottery and died the next day
It's a black fly in your Chardonnay
It's a death row pardon two minutes too late
Isn't it ironic, don't you think?

It's like rain on your wedding day
It's a free ride when you've already paid
It's the good advice that you just didn't take
And who would've thought, it figures

Mr. Play It Safe was afraid to fly
He packed his suitcase and kissed his kids good-bye
He waited his whole damn life to take that flight
And as the plane crashed down he thought
"Well, isn't this nice"
And isn't it ironic, don't you think?

It's like rain on your wedding day
It's a free ride when you've already paid
It's the good advice that you just didn't take
And who would've thought, it figures

Well life has a funny way of sneaking up on you
When you think everything's okay and everything's going right
And life has a funny way of helping you out when
You think everything's gone wrong and everything blows up in your face

A traffic jam when you're already late
A no-smoking sign on your cigarette break
It's like ten thousand spoons when all you need is a knife
It's meeting the man of my dreams
And then meeting his beautiful wife
And isn't it ironic, don't you think?
A little too ironic, and, yeah, I really do think

It's like rain on your wedding day
It's a free ride when you've already paid
It's the good advice that you just didn't take
And who would've thought, It figures

Well life has a funny way of sneaking up on you
And life has a funny, funny way of helping you out
Helping you out


28 de outubro de 2014

[Filme] O Melhor de Mim


Título original: The Best of Me
Duração: 117 min.
Direção: Michael Hoffman
Roteiro: Michael Hoffman, Will Fetters e J. Mills Goodloe / Nicholas Sparks (autor da obra original)
Distribuidora: Imagem Filmes
Ano: 2014
Avaliação: 3/5
Sinopse:Adolescentes, Amanda (Liana Liberato) e Dawson (Luke Bracey) se apaixonam. O pai da garota não aprova o relacionamento e, com o passar do tempo, os jovens acabam se afastando e tomando rumos diferentes. Duas décadas mais tarde um funeral faz com que os dois (Michelle Monaghan e James Marsden) voltem à cidade natal e se reencontrem. É o momento de ver se os sentimentos persistem e avaliar as decisões que tomaram na vida.

Comentários:
Como cortesia da editora Arqueiro fui assistir a cabine do filme O Melhor de Mim e surpreendentemente eu gostei. 
A parte da surpresa é que apesar de adorar um bom drama não sou tão fã de um romance mais meloso, porém nesse filme a dosagem não me incomodou. 

Começamos com Amanda e Dawson, personagens com vidas diferentes, mas que possuem uma ligação no passado e que devido a um acontecimento se encontram anos depois, com isso têm que reviver questões mal resolvidas em suas vidas. 

O filme vai intercalar momentos entre o passado dos dois construindo suas histórias e criando suas identidades e cenas do presente que contrasta com o relacionamento anterior, hoje são quase dois estranhos, mas com vínculos muito fortes. Conforme ambas as histórias vão evoluindo podemos perceber também a evolução do casal em ambos os tempos. 

O enredo é previsível porém bem construído, o romance e os personagens possuem vários elementos clichês mas isso não desmerece o conjunto, pois apesar de não trazer tantos fatos inovadores ele trata com competência o que se propõe a contar. A única parte que a “rotina” pode vir a atrapalhar é que esse é mais um filme adaptado de uma obra de Nicholas Sparks o que tira a surpresa de alguns acontecimentos. 
Os personagens foram bem construídos, como comentei com algumas amigas após a exibição, preferi mais a interação do casal mais novo, eles se entrosavam melhor e mais naturalmente, mas o trabalho de Michelle Monaghan e James Marsden também é bom. 

Não li o livro para poder comentar sobre a adaptação. Um romance gostoso e tocante para quem gosta do gênero. 


20 de outubro de 2014

[Music Monday] Quase Sem Querer

Hoje a indicação de do Music Monday não tem nenhuma grande explicação a não ser que hoje acordei com o dia nublado, um clima estranho e inevitavelmente isso me remete ao Legião Urbana, com isso trago uma de suas músicas que mais gosto e que está conversando comigo nesta segunda-feira: 



Quase Sem Querer

Tenho andado distraído
Impaciente e indeciso
E ainda estou confuso
Só que agora é diferente
Estou tão tranquilo e tão contente

Quantas chances desperdicei
Quando o que eu mais queria
Era provar pra todo o mundo
Que eu não precisava
Provar nada pra ninguém

Me fiz em mil pedaços
Pra você juntar
E queria sempre achar
Explicação pro que eu sentia
Como um anjo caído
Fiz questão de esquecer
Que mentir pra si mesmo
É sempre a pior mentira
Mas não sou mais
Tão criança a ponto de saber tudo

Já não me preocupo se eu não sei por que
Às vezes o que eu vejo quase ninguém vê
E eu sei que você sabe, quase sem querer
Que eu vejo o mesmo que você

Tão correto e tão bonito
O infinito é realmente
Um dos deuses mais lindos
Sei que às vezes uso
Palavras repetidas
Mas quais são as palavras
Que nunca são ditas?

Me disseram que você
Estava chorando
E foi então que eu percebi
Como lhe quero tanto

Já não me preocupo se eu não sei por que
Às vezes o que eu vejo quase ninguém vê
E eu sei que você sabe quase sem querer
Que eu quero mesmo que você


18 de outubro de 2014

6 Observações sobre A Torre Acima do Véu, de Roberta Spindler



Tenho que dizer que fiquei agradavelmente surpresa com a leitura de "A Torre Acima do Véu", da autora paraense Roberta Spindler - que conheci na Bienal do Livro de SP deste ano (e uma whovian também!). Comecei a leitura e fiquei grudada na narrativa, e só não devorei o livro com rapidez porque as responsabilidades (chatas e tediosas) da vida adulta me roubaram o tempo. Mas vamos à lista, que é mais interessante que as minhas reclamações - hehe!

1- Distopia nacional, minha gente! Fui com um pézinho atrás, com certo receio devido à moda de distopias dos últimos tempos e com medo de encontrar um "mais do mesmo". Não é o que acontece aqui. Além de fugir um pouco do "americanicismo" que vemos tanto em distopias atuais, a autora dá uma roupagem nova a este mundo pós-apocalipse, principalmente por situar o enredo aqui na América do Sul, na megacidade Rio-Aires, em que há a constante mistura entre português e espanhol.

2- A narrativa já te pega de jeito no prólogo. O desespero causado pela misteriosa névoa e acompanhar a vida difícil dos que sobreviveram e tiveram que se refugir no alto dos prédios é claustrofóbico e sempre tenso, principalmente por causa dos assim chamados "sombras", pessoas que foram afetados pela névoa e já não se parecem mais com seres humanos normais. E saber o que são os tais "sombras", afinal, é uma das sacadas mais legais no livro.

3- Ainda sobre a narrativa: não há excessos. Não são só cenas de ação ou só drama ou só diálogos. É tudo muito bem balanceado, na medida, sem nada que seja desnecessário ao andamento do plot.

4- Os personagens são ótimos. Adoro a Beca, a protagonista, com toda a sua impulsividade e compaixão; adoro todas as nuances do Rato; adoro nunca saber o que esperar do Emir. São personagens bem montados e que agem como pessoas normais, com suas imperfeições e complexidades. E o melhor de tudo: sem ter uma infinidade de descrições sobre o quanto são belos e perfeitos. O universo criado por Roberta é imperfeito, quebrado, doente - e seus habitantes são sobreviventes, arriscando tudo por uma vida decente.


Fanart de Beca, protagonista de A Torre Acima do Véu
Fanart de Rato - só o meu personagem favorito do livro

5- O universo criado é todo muito coerente. O fato de Beca ter habilidades especiais tem uma explicação muito boa, já que ela não é a única a ser assim. Toda uma geração nascida após o surgimento do véu acabou sendo afetada por sua influência e suas habilidades manifestaram-se nas mais diferentes formas. É bom saber que ela não é "A Escolhida", somente alguém que acabou se envolvendo em algo maior do que ela e que precisa encontrar uma solução, utilizando os meios ao seu alcance para isso.

6- Fugiu do conceito de se ter um poder totalitarista que controle tudo e seja o grande vilão da história. Embora a Torre tenha controle sobre muitas coisas, inclusive sobre o que restou da boa tecnologia encontrada após o surgimento do véu e tenha encoberto fatos e escondido informações do restante da população, eles não são o antagonista aqui. Já é um alívio ler algo um pouco diferenciado, sem ter mais um "Grande Irmão".

No mais, é uma leitura altamente recomendada, podem ler sem medo! ;D

16 de outubro de 2014

[Livro] O silêncio do túmulo – Arnaldur Indridason


Livro: O silêncio do túmulo
Titulo Original: Grafarþögn
Autor: Arnaldur Indridason
Editora: Companhia das Letras
Ano: 2011
Avaliação: 4/5
Sinopse:Um esqueleto, provavelmente datado da Segunda Guerra, é encontrado nas gélidas imediações de Reykjavík, Islândia. Enquanto um grupo de arqueólogos trata de removê-lo e analisá-lo, cabe ao inspetor Erlendur desencavar histórias escabrosas não resolvidas da região. Mas acontecimentos tão antigos são difíceis de ser retraçados, sobretudo quando nem todo mundo deseja lembrar-se deles. Quem afinal morava no chalé inacabado do alto da colina, e o que aconteceu lá? Pode um crime brutal ter ocorrido no quartel dos aliados, instalado naquele local durante a guerra? Será que a jovem mulher, comprometida com um homem bem-sucedido de uma tradicional família islandesa, jogou-se mesmo ao mar, sem motivo aparente? Essas não são, no entanto, as únicas questões que pairam sobre a cabeça do policial; sua filha, Eva Lind, com quem ele mantém uma relação distante, entrou em coma devido ao abuso de drogas. O acontecimento leva Erlendur a questionar toda a sua vida, bem como a rememorar um trauma de infância envolvendo o irmão e uma tempestade de neve. (fonte: Skoob)

Comentários:
Eu estava em busca de uma leitura diferente, algum elemento que fugisse um pouco do padrão, um autor novo, enfim, foi com esse sentimento que acabei me deparando com a leitura de O Silêncio do Túmulo, de Arnaldur Indridason.
Além de ser um escritor novo em meu repertório, também foge do padrão americano ou inglês, ele é islandês e em si traz características próprias de sua escrita.
O livro tratará de vários mistérios que ocorreram tempos atrás, uma criança acha ossos em uma área de recente expansão, o que leva os investigadores ao centro de um mistério, esse esqueleto pertence há uma época mais remota e talvez seja fruto de um crime. 
Com esses dados Arnaldur trará três investigadores para o caso: Erlendur, Elínborg e Sigurdur Óli. Uma das características dessa obra é que além do crime temos uma abordagem do que está acontecendo na vida dos investigadores. Erlendur, que nunca teve muito contato cm sua família, agora tenta ajudar a filha com graves problemas com drogas; Sigurdur Óli está com problemas de relacionamento com sua mulher, porém a vida de Elínborg, a única mulher da equipe, não é muito explorada. 
Gostei da forma como a investigação é levada durante a história, assumo que por ser um crime que seria pautado apenas em lembranças achei que o ritmo seria lento, mas fui surpreendida, pois durante a investigação descobrimos uma mulher que supostamente se jogou no mar e, além disso, acompanhamos a narrativa de uma família que é oprimida por um homem violento. Com todos esses aspectos é impossível saber o que realmente aconteceu, a narrativa dá voltas e voltas e fiquei sempre mudando de opinião sobre o que tinha acontecido, no fim tenho que dizer que gostei muito da resolução dada. 
Outro grande drama é a relação familiar de Erlendur, principalmente com sua filha, que revelou muitos aspectos do personagem e um tema que é complicado que envolve a distância de pais e filhos e o relacionamento durante e após uma separação. Adorei os dramas e conflitos internos desse personagem que é o mais rico da narrativa. 
Sobre o projeto editorial tenho duas observações, a primeira é que tive dificuldades de assimilar os nomes, por ser de origem islandesa, mas gostei de terem mantido na tradução, tornou a história mais real, mais local. Outra escolha da tradução foi manter as aspas nas falas quando normalmente o usado são os travessões, mas isso não alterou meu fluxo de leitura. 
Por fim quero dizer que a leitura me impressionou, fiquei envolvida na história e estou curiosa pelos outros livros que trazem Erlendur como personagem. 

12 de outubro de 2014

[Sorteio] Livro Sempre


Oi amigos, dia 29 de outubro é comemorado "O Dia Nacional do Livro", e claro não podíamos deixar a data passar em branco. Pensando nisso, alguns blogs amigos resolveram se juntar e fazer a Promoção Livro Sempre, afinal, para nós que somos apaixonados por livro, todo dia é dia de livro... Serão sorteados dois kits com quatro livros cada. Para participar basta ter endereço de entrega no Brasil e preencher o formulário do kit desejado. Serão sorteados dois ganhadores diferentes.
Kit 1: Histórias Sem Fim: A Garota que Tinha Medo Alegria de Viver: As Gêmeas Fábrica dos Convites: Eu Compro, Sim! Cantinho da Gladys: Os Amores da Pantera
Kit 2: Desbrava(dores) de Livros: Morgana e Charles Vintecinco Devaneios: O Preço de Uma Lição  MilkShake de Palavras: O Que Falta Para Você Ser Feliz?  Memories of the Angel: De Coração para Coração 
Um e-mail será enviado ao ganhador, que terá 3 dias para respondê-lo com seus dados de entrega para que o sorteio não seja refeito.

Cada blog é responsável pelo envio do seu livro, e tem o prazo de 60 dias para enviá-lo. Não nos responsabilizamos por danos, demora ou extravios durante o transporte. Esta atividade é recreativa e a participação é voluntária e gratuita. Ao se inscrever, o participante declara concordar com as regras aqui descritas.