15 de janeiro de 2017

Retrospectiva 2016 ou ainda bem que acabou


Não curto muito ser o estilo clichê, mas sobre o ano de 2016 faço parte da grande maioria que comemorou o fim do ano dançando cancan (ou pelo menos mentalmente dançando). Esse definitivamente não está no rol dos meus melhores anos, perdi pessoas e coisas e por alguns momentos me perdi, mas como sou daquelas que gostam de um grande encerramento o fim de ano teve grande significado pra mim, de poder deixar tudo pra trás, aprender com as cicatrizes e ficar pronta para um novo caminho (que pode ou não ser melhor que o anterior, mas é desconhecido e repleto de possibilidades, e hoje isso já me basta). 
Em 2016 finalmente consegui acertar o layout do blog, ficou como eu imaginava, mas por mais estranho que pareça também foi o ano que mais negligenciei esse espaço, e como isso me doeu muito e fez uma falta que eu não esperava sentir aqui estou de volta, para esse mundo de letras e palavras. 
E para dar o devivo encerramento ao ano que passou, vou trazer aqui uma retrospectivas dos filmes, livros e séries que li/assisti em 2016. 

LIVROS: 
1) Uma curva no tempo
2) As espiãs do dia D
3) A voz do arqueiro
4) E se for você?
5) Divórcio
6) 12 anos de escravidão
7) Era uma vez no outono
8) Até você ser minha
9) Madrugada de desejos
10) Gerra dos Fae – Nova ordem mundial
11) A lista de Brett
12) A protegida
13) Beleza perdida
14) A garota sem passado
15) Entre o amor e a vingança
16) Trono de vidro
17) Pecados no inverno
18) Anardeus
19) Entre a culpa e o desejo
20) Entre a ruína e a paixão
21) A redenção
22) Felicidade incurável
23) Noite sobre as águas

FILMES:
1) StarWars VII – o despertar da força
2) Snoopy &Charlie Bronwn
3) A grande aposta
4) Anomalisa
5) Ponte de espiões
6) O menino e o mundo
7) Joy: o nome do sucesso
8) Brooklyn
9) Deadpool
10) Shaun, o carneiro
11) O quarto de Jack
12) As memórias de Marnie
13) O regresso
14) Spotlight
15) Batman vs Superman
16) A onda
17) Capitão América – Guerra Civil
18) Xmen Apocalipse
19) Como eu era antes de você
20) Procurando Dory
21) Esquadrão Suicida
22) Ele não está tão afim de você
23) Star Treck
24) Doutor Estranho
25) Animais fantásticos e onde abitam
26) Elis

SÉRIES
1) Jessica Jones – 1 temporada
2) Breaking bad – 1 temporada
3) Agent Carter – 1 temporada
4) Outlander – 2 temporada
5) Demolidor – 2 temporada
6) Strange Things – 1 temporada
7) Breaking Bad – 2 temporada
8) Luke Cage – 1 temporada
9) Breaking bad – 3 temporada
10) Breaking bad – 4 temporada
11) The walking dead – 1 temporada
12) Breaking bad – 5 temporada
13) Gilmore girls – 1 temporada
14) Gilmore girls – 2 temporada
15) Gilmore girls – 3 temporada
16) Gilmore girls – 4 temporada

Não tive muitas leituras memoráveis, mas gostaria de dar um destaque para As espiãs do Dia D, do Follett, com certeza um dos melhores livros do ano. 

Nos filmes ficou mais complicado escolher um, então trapaceei e escolhei vários... O menino e o mundo foi a animação do ano para mim, linda, singela e com tanto significado sobre a vida que vale a pena ser vista sempre. Deadpool foi o melhor filme de super-herói, principalmente por ser o com menos expectativa e o que entregou mais, e o que eu assistiria mais uma vez sem dor nenhuma. A onda foi o filme que me fez pensar sobre a história, sobre como a sociedade não superou seus comportamentos mais nocivos (e considerando os últimos acontecimentos isso não está longe de estar certo, o que é bem triste). Animais fantásticos e onde habitam foi uma chance de revisitar um mundo que me encanta a tanto tempo e que sinto tanta falta e Elis me fez arrepiar de novo com toda a voz e intensidade dessa cantora. 

Nas séries, 2016 foi uma evolução pois assisti muito mais do que estou acostumada, mas apesar de ter voltado para Gilmore Girls e estar em uma marota incessante desde então com certeza ano passado foi o ano de Breaking Bad para mim, que série f... e não há melhor palavra para descrevê-la, ela é intensa, com personagens complexos, e simplesmente foi perfeita. 

Além dos filmes, livros e séries 2016 foi o ano em que fiz minha primeira viagem para fora do Brasil, e fui para Buenos Aires e me apaixonei por aquela cidade, com certeza um lugar que ainda vou voltar muitas e muitas vezes. 

E com esse post faço o encerramento oficial e fico pronta pra tudo o que esse novo ano pode trazer. Brig it on.

7 de janeiro de 2017

[Sorteio] 5 anos de Lendo e Escrevendo


Mais um ano se passou e eu só tenho a agradecer a todos vocês por acompanhar o blog nesses 5 anos do Lendo e Escrevendo, por isso é com imensa felicidade que junto com os blogs amigos A universitária,  Doces Letras, Memories of the angel, Meu Vicio em Livros e Vintecinco Devaneios iremos presentear nossos leitores!

16 de novembro de 2016

[Promoção] Natal Literário


Dezembro está chegando e com ele o Natal! Quem aí acredita em Papai Noel? Para aqueles que não acreditam no bom velhinho, é melhor começar a pensar a respeito, pois ele existe e vai presentear 2 sortudos com 2 cestas recheadas de livros!!!
É isso mesmo, um grupo de blogs amigos vai dar uma de Papai Noel e vamos sortear 7 livros pra serem divididos entre 2 ganhadores. Para participar, basta seguirem as regras obrigatórias de cada kit e ficar na torcida. Como somos muito bonzinhos e estamos no espírito natalino, ainda tem várias chances extras para vocês!
Escolha o seu kit e participe! Mas, vale lembrar que serão 2 ganhadores distintos.


Kit 1:
Fábrica dos Convites: Tudo Que Um Geek Deve Saber
Literalizando Sonhos: Surpreendente
Vintecinco Devaneios: Contos Peculiares
Regras Obrigatórias: curtir as fanpages dos blogs Fábrica dos Convites e Vintecinco Devaneios e seguir o blog Literalizando Sonhos pelo GFC


a Rafflecopter giveaway



Kit 2: 
Saleta de Leitura: O Milagre de Ágape
Mulheres Românticas: Garotas de Vidro
Regras Obrigatórias: curtir as fanpages dos blogs Memories of the Angel e Mulheres Românticas e  seguir os blogs Livros, a Janela da Imaginação e Saleta da Leitura pelo GFC


a Rafflecopter giveaway

E você, vai ficar de fora desta promoção?

15 de setembro de 2016

[Promoção] Setembro Nacional

O dia 7 de setembro de 1822 foi marcado pela emancipação brasileira do reino de Portugal, desde então muita coisa aconteceu e a cultura nacional cresceu e incorporou diversos estilos, a literatura passou por diversas fases e mudanças, hoje temos tantos autores e tantos estilos na literatura nacional que os blogs Fábrica dos Convites Livrólogos, Lendo e Escrevendo, Meu Mundinho fictício, Perdida naBiblioteca e Vintecinco devaneios se juntaram para presentear dois leitores com um pouquinho da nossa literatura.

12 de setembro de 2016

A Bienal e como as coisas mudam



Sei que esse post está saindo com uma semana de atraso, mas como diz aquele velho ditado “antes tarde do que nunca” (ou o mais aplicado aqui no blog: “antes tarde que mais tarde”), bora comentar  sobre esse evento de livros e as reflexões sobre ele. 

A Bienal era um dos eventos que mais me animava, em suas três últimas edições, por motivos diversos, pude aproveitá-la quase em tempo integral, visitando o evento na maioria dos dias. No entanto, esse ano, devido ao trabalho, compareci apenas em quatro dias: duas sextas e dois sábados, mas a sensação de mudança vai além disso. 

Alguns dos amigos que encontrei na Bienal

Para mim a bienal sempre foi cercada de um clima de ansiedade e empolgação, acompanhava a montagem dos stands, os lançamentos, as promoções entre tantas outras coisas que permeiam o evento. Ia no primeiro horário do primeiro dia, andava por todos os corredores até decorar onde ficavam as editoras que mais visitava, ficava horas em filas de autógrafos e comprava muitos (mas muitos) livros numa euforia de promoções e consumismo. Resumindo: quase uma criança solta em um parque de diversões. 

Esse ano eu estava mais tranquila, acompanhei a montagens de alguns stands pelo Snapchat, mas não fui tomada pela tão costumeira ansiedade, visitei a Bienal com calma (nem cheguei a percorrer todos os corredores) e a compra de livros, para a felicidade do meu bolso, foi a menor das últimas edições do evento;  não peguei autógrafos e fui a poucos eventos.

Aquisições do evento


Na verdade acho que minha relação não mudou apenas com a Bienal, mas com vários eventos de livros em geral, sai da intensa euforia para a pacífica serenidade. Não entendam errado (eu espero), eu ainda amo esse evento, ele enche meu coração não só pelos livros, mas também pelos amigos que encontro e pelos momentos que tenho, por ver autores que conheço lançando seus livros e por tudo o que a Bienal representa, mas acho que sai de uma paixão desenfreada para um amor sereno. 

Eu e os livros, amor pra vida

3 de setembro de 2016

10 coisas para se fazer na Bienal do livro 2016 (sem ser comprar livro)

E mais uma edição do maior evento de livros do estado de São Paulo chega!
Reunindo grandes editoras paulistas, a 24.ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, trás em sua programação além de autores internacionais para autógrafos, palestras e conversas, grandes temas para debates e atividades para todas as idades.
Além disso tudo, lógico, ainda há os estandes de exposição, sempre com a alternativa de se adquirir aquele livro que você já está namorando faz um tempo ai com certo desconto...
Mas, e se não houve dinheiro para as compras?
Nada tema! Ai vai uma lista de 10 dicas do que fazer no evento se você estiver mais liso do que sabonete 

1 – Jogar Pokémon Go

OK, você pode fazer isso em qualquer lugar da cidade, basta ter uma rede 3g legal e que seu GPS resolva funcionar corretamente. Mas o legal de jogar PokemonGo na Bienal é que há uma fada madrinha lá! 
A Panini, que não é besta nem nada, resolveu montar dois pokestop em seu estande, para atrair o público. Como se isso já não fosse bom, ambos os pontos recebem lure durante o dia inteiro! Então, bastar estar no raio de alcance das paradas para que uma média de três pokémon apareça a cada minuto (mais ou menos).
O único problema nisso é que você irá perceber que seu estoque de pokebolas não é o suficente...




Easter egg

Além de ter lure, os dois pokestop da Panini ainda te fazem viajar no tempo!
Não, não me refiro ao fato de você perder a noção do tempo lá. A questão é que os dois pontos são estátuas que a Panini trouxe há 2 anos, na Bienal 2014! Então, nem perca seu tempo procurando eles na vida real, tá?




2 – Passear no Boulevart Saraiva atrás de tomadas

Com a questão da caça pokémon, você com toda a certeza irá precisar de energia para o celular. Apesar dos carregadores portáteis quebrarem um galho e ajudarem na hora do desespero, nada melhor do que a velha tomada para dar a carga geral na bateria. Para isso, pode contar com a ajuda do estande da Saraiva!
A rede de livrarias está com o maior estande do evento, que é um formado pela junção de duas quadradas. Na passagem do meio foi montada um tipo de boulevart, com atividades, espaços para fotos, autógrafos, bancos e... tomadas!
O único problema do lugar: as tomadas disponíveis não são muitas e, normalmente, já estão sendo utilizadas. Assim, é preciso de um pouco de paciência para achar uma livre...



Dicas
Leve um T/benjamin ou uma extensão, assim mais pessoas podem utilizar a mesma tomada com você. Isso ajuda, também, para o caso de todas já estarem em uso. Vá que você encontre alguém bacana que aceite dividir a entrada :)
Caso o estande da Saraiva esteja lotado, outro ponto de parada é o estande da Leya, que trás os carregadores parecidos com aqueles armários dos shoppings. 

3 – Tirar sua trigésima foto no Trono de ferro

Já que falei do estande da Leya, enquanto você espera seu celular carregar, por que não tirar mais uma foto no trono mais disputado?
A editora trouxe para o evento a réplica do trono de ferro, de Guerra dos tronos, e a ambientalização está um show a parte, com um lindo mapa atrás dele.
Caso não tenha coragem de enfrentar a fila, fica tranquilo! Tem outro trono lá no Boulevart Saraiva! 



4 – Fazer uma corrida de biga a lá Ben-hur

OK, não é bem uma biga e tão pouco eles correm, mas dá para se divertir nas bicicletas adaptadas do Itaú.
A volta não é longa e tão pouco feita com velocidade, mas é um meio de conhecer um pedaço do evento sem precisar andar!


5 – Pegar uma coroa, sem roubar

O estande do Itaú, aliás, veio com o tema de conto de fadas e mundos mágicos, para trabalhar o lúdico e atrair as crianças. Trabalharam muito bem a campanha de incentivo a leitura infantil. 
Para divulgar a iniciativa, eles estão distribuindo coroas de papel, com informações e orientações para quem quiser conhecer o trabalho da campanha.
Dá para se sentir um verdadeiro rei ou rainha com elas!



6 – Ilustrar a ida para Hogwarts, bem caracterizado

O estande da Rocco não poderia ter um tema diferente do que o de seu carro chefe: Harry Potter!
Do lado de fora do estande foi montada uma réplica da estação King’s cross, de Londres, mais precisamente da entrada para a plataforma 9 3/4!
Malões, corujas, varinhas e cachecóis das casas da série estão a disposição do público para tornar uma foto em uma boa lembrança. Caso você ainda queira que esse momento seja mais memorável, que tal ir caracterizado para o clique? E nem precisa exagerar, um item mais referencial já é de bom tamanho.



7 – Nadar no rio de bolinhas da Moana

Para divulgar seu próximo filme “infantil”, a Disney montou em parte de seu estande um percurso de atividades inspirado no tema de Moana: um mar de aventuras.
Retomando um pouco a ação de marketing feita na Comic Con Experience 2015, a Disney resolveu apostar nas bolinhas para trazer o público para seu estande. Não chega a ser um mar de bolinhas como foi com a divulgação do filme Procurando Dory, porém, o rio montado já serve para se divertir!
Voltado principalmente para as crianças, isso não quer dizer que um adulto não possa entrar no percurso. Apenas lembre-se de ter o bom senso e tomar cuidado para que, no meio da brincadeira, não acabe machucando nenhum pequeno.


8 – Simular um apocalipse zumbi no estande da Panini

A Panini sempre parece que fez a lição de casa com os estandes. Depois de sofrer em eventos com as múltiplas entradas do estande, dessa vez, eles resolveram o problema de um modo simples: apenas uma entrada, larga o suficiente para comportar intenso movimento, e uma saída dos caixas. Simples, eficaz e inteligente.
Para que isso funcionasse, foi preciso cercar o restante dos lados do estande, o que fizeram de bom gosto também, com prints maravilhosos dos principais títulos da editora ou com a montagem da sala de vidro, para as seções de autógrafos, fotos e entrevistas. O estande deles está um verdadeiro show a parte!
O mais legal, ao meu ver, foi que em alguns pontos, para que o estande não virasse um verdadeiro contêiner, eles fizeram uma simulação de grade, com os buracos vazados e pintados de preto. Lógico que uma boa ideia tinha que surgir dai.
Visto de fora, com o movimento interno, o estande parece um verdadeiro palco para um apocalipse zumbi! O que torna a experiência bem mais divertida!
Panini foi, com toda a certeza, o point desse evento para mim 


9 – Tirar uma self com o Stormtrooper no estande da Universo dos livros

Como não poderia deixar de ser, temos editoras que sempre apostam na franquia Star Wars, para a alegria dos fãs!
Dessa vez, quem trouxe para o evento uma figura em tamanho real da tropa de clones mais querida foi a Universo dos livros, que montou em seu estande um espaço todo tematizado para comportar o guerreiro branco.
O mais legal é que não há nada para impedir uma aproximação mais íntima e, salvo a orientação para não tocar na figure, é possível tirar boas e divertidas fotos com ele!



10 – Ter amigos que aceitem fazer tudo isso com você
Isso não é bem uma dica ou sugestão do que fazer para se divertir no evento, mas cabe nelas.
Muitas vezes, ir em um evento sozinho não é uma opção, mas sim o que se apresenta na oportunidade. Mas, caso seja possível, compartilhe desse momento com pessoas que lhe são queridas. A diversão sempre será multiplicada e, claro, se você tiver alguém que tope fazer TUDO ISSO com você, ao menos uns bons risos serão garantidos...




Quem escreve

Patrícia Harumi (conhecida também como Keiko Maxwell), é editora de livros e apaixonada por quadrinhos, sejam eles no formato e da nacionalidade que forem. Colabora com participações especiais em blogs por aí e ainda tem um livro sobre super-heróis publicado.